07 junho 2015

[ Resenha ] Carrie - A Estranha | Stephen King

        Olá, tudo bem?
        Espero que a reposta seja positiva.
        Vamos para o Clube do Medo?
         Porque hoje eu  tenho a resenha do livro  Carrie - A Estranha escrito pelo autor Stephen King publicado pela Editora Suma de Letras.
        Venha conhecer minha opinião.



    " Ela Sempre foi o bode expiatório da turma."
 ( pág. 29 )
 
    . Dados Sobre o Livro:

      - Título Original: Carrie
      - Autor: Stephen King
      - Editora: Suma de Letras
      - Ano: 2013
      - 200 Páginas
      - Tradução de: Adalgisa Campos da Silva

      - Onde comprar: FolhaSubmarino

    . Sinopse:

   Carrie é uma adolescente tímida e solitária. Aos 16 anos, não pode viver os prazeres e as descobertas dos jovens de sua idade. Dominada pela mãe, fanática religiosa que reprime qualquer manifestação de vida, Carrie acredita que tudo é pecado. Viver é enfrentar, a cada dia, o terrível peso da culpa.  Para os colegas de escola, até mesmo para os professores, ela é uma menina estranha, incapaz de conviver com os demais. Dia a dia mais isolada, sofre com as piadas maldosas e o deboche. No entanto, há um segredo por trás de sua aparência frágil: Carrie tem poderes sobrenaturais, e com a simples força do pensamento é capaz de mover objetos. Esse é seu jogo particular, duramente reprimido como tudo mais em sua vida.
    No fatídico dia de sua formatura, um ato de bondade ofereceu a Carrie uma outra forma de enxergar a si mesma. Porém, outro ato - de absoluta crueldade - provocou uma irremediável reviravolta e transformou seu jogo secreto em uma arma de horror e destruição. Chegou a hora do acerto de contas.
     Carrie, A Estranha é um dos maiores clássicos de terror da literatura contemporânea e um dos mais aclamados livros de Stephen King.



                                        ( Chloë Moretz - 2013 e Sissy Spacek - 1976 representando Carrie. )

 
" Mas quase ninguém descobre que seus atos, na verdade, magoam realmente os outros! "                             ( pág. 76 )




                                            Brincando Com Sangue

       Realmente Carrie – A Estranha é um livro muito bom. Quando eu comecei a leitura eu estava tranquila e procurei ter em mente que essa história foi publicada em 1974, que alguns temas que foram abordados neste livro já são considerados comuns nos dias atuais, mas que devem ter levantado muitas discussões na época.
      Eu já tinha assistido os dois filmes da Carrie ( 1976 e 2013 ) várias vezes, principalmente a primeira versão. Como há alguns detalhes diferentes entre os filmes e estava cheia de perguntas a respeito da história, nada melhor que ir atrás do livro para saciar minha curiosidade.
      A edição que eu tenho e li traz uma curiosidade, um prefácio do próprio S.King, falando um pouco sobre a origem da história. Como é o primeiro livro que leio dele achei isso maravilhoso e espero que os outros também tenham esse prefácio.
      O que eu não esperava era o terror psicológico que foi criando na minha mente durante a leitura. Simplesmente eu fiquei apavorada com alguns personagens e ao mesmo tempo achava isso sensacional, porque eu sentia como estivesse na pele de cada um deles. Sentimentos que os filmes ( por mais que eu goste) não conseguiram.
      Em “Carrie”, S.King conta a história de Carrie White, uma adolescente que sempre foi o bode expiatório da escola. Ela é excluída de tudo, zombada por todos e para piorar, é criada em um ambiente opressor e dominada por uma mãe com fanatismo religioso ao extremo.
     Embora Carrie sofra todas as humilhações calada e ser uma moça bastante ingênua, ela guarda muito ódio dentro de si de todas as pessoas que a humilham. Até que um incidente escolar acontece a deixando totalmente desesperada por falta de instrução e Carrie novamente vira alvo de zombaria, principalmente das meninas. Porém após esse evento, Carrie começa alimentar seu ódio com seus poderes sobrenaturais que, até este momento, era mal compreendido por ela.
     Alguns personagens levarão um tempo para serem esquecidos, como as maldades de Chris Hargensen e a crueldade e a frieza de Billy Nolan, mas que realmente é destaque no livro é mãe de Carrie, Margaret White.
     Margaret é um dos personagens mais fortes na história, pois mostrou ser uma mulher totalmente demente. Muitas vezes submetendo Carrie a maus-tratos e a rejeição por achar que a filha é a prova viva de seu próprio pecado. É um pouco perturbador ler alguns trechos onde Margaret tortura sua filha com seu fanatismo.
     Sem duvida Carrie é um dos grandes clássicos do horror, que conquistei para minha estante e que guardarei com muito carinho. Pode ter certeza que é apenas o primeiro de muitos, pois S.King ganhou mais uma fã.





               ( Piper Laurie - 1976  e Julianne Moore - 2013 representando Margaret White. )



" ... Mas esse seria um castigo muito fácil. O Senhor age de formas misteriosas para realizar Suas maravilhas. Vejo isso agora. "
                      ( Margaret White - pág. 171 )


 . Trailer do filmes: 

   Carrie - 1976



Carrie - 2013


   
      . Sobre o autor: 

      Stephen King era um leitor fanático dos quadrinhos EC's horror comics incluindo Tales from the crypt, que estimulou seu amor pelo terror. Na escola, ele escrevia histórias baseadas nos filmes que assistia e as copiava com a ajuda de seu irmão David. King as vendia aos amigos, mas seus professores desaprovaram e o forçaram a parar. De 1966 a 1971, Stephen estudou Inglês na Universidade do Maine em Orono, onde ele escrevia uma coluna intitulada "King's Garbage Truck" para o jornal estudantil, o Maine Campus. Ele conheceu Tabitha Spruce lá e se casaram em 1971. O período que passou no campus influenciou muito em suas histórias, e os trabalhos que ele aceitava para poder pagar pelos seus estudos inspiraram histórias como "The Mangler" e o romance "Roadwork" (como Richard Bachman).

     . Já Leu Carrie, A Estranha? Ou Assistiu?
     . Então me conta o que achou dele. Vou adorar ler seu comentário. 

 renata massa