20 junho 2015

[ Resenha ] Iracema - José de Alencar

       Olá Pessoal! 
       Tudo bem?  Espero que esteja tudo bem.

       Hoje vou deixar a resenha do livro Iracema  escrito pela autor José de Alencar  publicado pela Editora Ática.
       Conheça minha opinião.



  " Iracema passou entre as árvores, silenciosa como uma sombra; seu olhar cintilante coava entre as folhas..."           ( pág. 26 )

  
. Dados os Livro:


    - Autor: José de Alencar
    - Editora: Ática
    - 28º Edição
    - Ano: 1995
    - 82 Páginas


   . Sinopse:

    Do amor entre o colonizador Martim e a índia Iracema, surge uma nova nação. Aventura e lirismo se misturam  nesta lenda lírica, narrada em  linguagem poética, em que José  de Alencar apresenta metaforicamente as origens do Brasil. 
      Iracema é um dos pontos altos do indianismo em nossa literatura.




  " Guerreiro, que levas o sono de meus olhos, leva a minha rede também. quando nela dormires, falem em tua alma os sonhos de Iracema."
                         (  pág. 30 )


 


                                               Um Clássico!

       Iracema é um velho conhecido de muitos leitores. Não é um livro fácil de ser lido por causa do vocabulário específico, mas acho que vale muito a pena ler clássicos da literatura brasileira. Pois conta fatos históricos ocorridos na formação do nosso país, apresenta característica, descrição das belezas naturais de nossa terra e acho que nossa cultura não pode ser esquecida.
       A relação entre Martim e Iracema, mostra a união pelo amor entre o branco colonizador e a índia, mesmo diante dos preconceitos de raça, sofrimento e sacrifícios.
       A história se inicia com o guerreiro branco Martim Soares Moreno, amigo dos índios Pitiguaras, perdendo-se na mata e sendo encontrado por Iracema, a deslumbrante virgem, filha do pajé Araquém, da tribo dos Tabajaras.
       Iracema leva o jovem branco para sua tribo, onde ele foi recebido como hóspede e amigo. Ao inteirar-se que estar em uma tribo inimiga dos Pitiguaras e participando de uma celebração que os Tabajaras faziam a seu grande chefe Irapuã, Martim resolveu fugir. Porém Iracema o impedi, pedindo-lhe que aguardasse a volta de seu irmão Caubi, para que possa guiá-lo pelas matas.
       Aos poucos, surge um afeto entre Iracema e Martim, que logo se transforma em paixão. Mas a situação se complica, pois Irapuã também estava apaixonado pela índia, então o casal foge e encontra abrigo na tribo dos Pitiguas, o que resulta no conflito entre as duas tribos.
       Mesmo sofrendo pelos acontecimentos, Iracema segue Martim que passam viver na nova tribo. Porém Iracema engravida de Martim e passa a definhar de tristeza por sofrer as constantes ausências do marido, que enfrenta diversos combates.
       Gosto do livro por que mostra claramente a primeira fase do Romantismo no Brasil e acho que é uma fase que precisa ser valorizada por que são nossas raízes.
       E nunca é demais incentivar uma leitura mais aprimorada.





                                                    Iracema  ( Antonio Parreiras, 1909 )




      Já leu Iracema?
     Então me conta o que achou dele. Vou adorar ler seu comentário.