28 setembro 2015

[ Book Tour ] Setembro Nacional 2015 - Distopia - Kate Willians









     Olá pessoal! Tudo bem?
     Espero que sim.
     Hoje  eu trago para vocês, a minha opinião do livro Distopia da autora Kate Willians publicado pela Editora  Arwen.




 " Ao Coronel obedeço, ao Regimento sou fiel. "  ( Thiago - pág. 17 )

    

. Dados Sobre o Livro:

   - Autora: Kate Willians
    - Editora: Arwen 
    - Ano: 2015
    - 1ª Edição
    - 318 Páginas


   . Sinopse:

     Em uma sociedade governada por militantes, com um sistema incorruptível, as crianças são  isoladas no regimento militar aos sete anos de idade e treinadas para serem soldados. Lá, eles aprendem da forma mais cruel a atirar e a matar, perdendo muito cedo a sua inocência. Depois da Grande Guerra, o mundo passou a ser dividido entre governantes e governados e cada um tem as suas dores, suas mágoas e limitações. E o que nos resta saber é: de qual lado você está? Porque no final das contas, não estamos vestidos para lutar... Assim como nunca estaremos vestidos para morrer...






                               Encontrei Uma História Sensacional!

     O livro Distopia da autora Kate Willians é o segundo livro do gênero distopia nacional que leio este ano. Eu conheci o livro através das redes sociais, mas foi pelo Book Tour organizado pela própria autora, que tive a oportunidade de ler a história.
     Eu só tenho elogios para o livro, porque eu tinha uma expectativa muito grande pela trama e encontrei uma história sensacional, uma escrita bastante elaborada e com personagens bem construídos.
     Na história a humanidade está vivendo em um ambiente após a Grande Guerra que aconteceu em 2016. A sociedade passou a ser governada por militantes e a população passou a viver em uma das quatro sociedades: Norte, Sul, Leste e Oeste. A sociedade do Norte, onde se passa toda a história, é divida em duas categorias: Governantes e governados.
    Os governantes viviam do lado de dentro do muro, com casas, objetos e roupas coloridas e alegres, com fartura e uma enorme variedade de alimentos. As crianças cresciam tendo a proteção dos pais e quando completavam doze anos eram levados para o Regimento do Sul para serem treinados para se tornarem capitães do Norte e quando atingissem a maioridade, trabalhavam em uma das quatro sociedades para manter o padrão do governo e assim, todos os Regimentos manteriam a paz e o equilíbrio.
    Já os governados sobrevivem do lado de fora do muro com casas construídas uma ao lado da outra, com tons de cinza e as pessoas se vestiam de acordo com a profissão que exercia. As crianças que completavam sete anos eram obrigadas alistar-se ao Regimento e crescer sobre as regras do coronel. Quando a criança chega aos vinte anos, ela precisa optar por uma das seis profissões e viver do lado de fora do muro ou se tornar um soldado do Norte, com um salário melhor.
    É neste cenário hostil e cheio de regras que conhecemos dois jovens que irá mostrar para o leitor, a diferença das classes sociais dentro da sociedade Norte. Thiago é um governado, uma das crianças que são treinadas em diversas áreas, aprendendo planejar estratégias e implantá-las, lutar, seguir ordens, manejar armas e atirar com precisão. E Laura é uma governante que carrega o peso de ser a filha do Coronel do Norte, mas com pensamentos revolucionários, que deixa sua mãe Miranda, irritadíssima.
    A trama é muito bem conduzida, a leitura desenvolve rapidamente porque não é cansativa. Principalmente os trechos nomeados como interlúdios, que mostra claramente em flashbacks a infância dos personagens, o início da jornada e os treinamentos no Regimento.
    Todos os personagens são ótimos, mas o Thiago juntamente com seus amigos conseguiram me cativar muito mais do que a Laura. Achei o Thiago mais realista nos temas que foram abordados enquanto a Laura foi um pouco mimada e birrenta para algumas situações. Eu também fiquei apreensiva com a presença de alguns sargentos ou quando um deles castigava os jovens soldados, porque os castigos eram cruéis e o único que conseguiu minha carisma foi o sargento Enzo. Ele foi o único sargento que olhava aquelas crianças como seres humanos e não como soldados do Regimento sendo treinados como robôs.
    Enfim... Foi uma leitura fascinante com um final cheio de surpresas. Confesso que terminei o livro desejando mais algumas páginas para saciar minha vontade.
Recomendo este livro aos fãs de distopia, também para aqueles que querem conhecer o gênero e para todos que valorizam muito a literatura nacional.






    . Sobre a autora:


    Kate Willians é escritora e estudante de letras. Escreveu seu primeiro livro aos 15 anos e o segundo Debaixo das minhas asas, publicou aos 17. Já foi a blogueira responsável pelo Drunk Culture e hoje se dedica apenas a escrita. Tem 20 anos e o seu maior sonho, é encantar as pessoas com suas palavras. A literatura a salvou, e espera um dia conseguir usar a mesma fonte para salvar outras pessoas. É extremamente apaixonada pelo que faz e adora passar o tempo livre com a família e com um pug bagunceiro e totalmente sem noção chamado Bob.

    
    
. Perfil da autora no Facebook:  (  Aqui )
     . Fan Page do livro: ( Aqui  )
     . Livro no Skoob:  ( Aqui  )
 
   
       Já leu Distopia?
       Então me conta o que achou dele. Vou adorar ler seu comentário.
 
 renata massa