19 setembro 2016

[ Divulgação ] Setembro Nacional 2016 - Conheça a Autora Nana Garces




     Olá  pessoal!
     Tudo bem?
     Espero que esteja tudo bem.
     Como vocês já sabem está rolando a Maratona Setembro Nacional, onde o blog Histórias Existem Para Serem Contadas irá juntamente com vários blogs amigos, divulgar nossos autores nacionais trazendo durante esse mês resenhas, tags e divulgações.
      Hoje vocês vão conhecer um pouquinho da Nana Garces, uma das autoras patrocinadoras da Maratona.






Nascida em Florianópolis, Nana Garces vive atualmente numa cidade da Grande Florianópolis, chamada Palhoça, onde mora com seu marido e cachorro. É formada em Serviço Social pela Universidade Federal de Santa Catarina. Sempre gostou muito de criaturas fantasiosas, mesmo em suas primeiras leituras Nana já demonstrou interesse pelo mundo sobrenatural. Seu interesse por escrever surgiu nos jogos de RPG e em fanfics quando ainda jovem. Com o tempo conheceu autoras como Charlaine Harris e Anne Rice, grandes influências para formar sua escrita. Escrever sempre foi uma diversão, apenas no começo de 2016 que foi desafiada por uma amiga a escrever um conto de suspense e essa experiência a levou a novos caminhos. Hoje ela possui duas publicações na Amazon, um conto (Estoy de Acuerdo - Um atendimento do destino) publicado na antologia Vidas que se Encontram e o ebook Ode de Sangue - Memórias Vampirescas.


Sua Obra: 
Ode de Sangue

Com quase quatrocentos anos, a Vampira Madalena busca a salvação de sua alma vivendo e trabalhando dentro de um monastério católico. Diferente do que parecia natural, essa vampira está acostumada com a religião e seus símbolos. Foi apenas quando se depara com alguém de fé verdadeira que Madalena sente a maldição de sua raça arder sob a pele.

Colocada em uma situação de vida ou morte, ela apenas tem um pedido, que ela possa contar sua vida para alguém, para que sua existência como humana e seu despertar para o dom da noite não desapareça com sua morte.

Narrado em primeira pessoa, Madalena fala um pouco de como era a Itália do séc. XVII, descreve suas dificuldades e suas paixões pela arte, leitura e música. Mesmo antiga, sua humanidade e amor pela raça humana apenas crescem, e é com esse pensamento que Madalena narra sua experiência enquanto mulher e religiosa.


    - Gostaram da divulgação?
    - Então conte o que achou dela. Vou adorar ler seu comentário.

 renata massa