30 março 2017

[ Resenha ] Clube da Luta – Chuck Palahniuk



    Olá pessoal!
    Tudo bem?
     Hoje eu quero apresentar para vocês a minha resenha do livro Clube da Luta escrito pelo escritor Chuck Palahniuk e publicado pela Editora Leya.




“ Tudo está muito longe, é a cópia da cópia da cópia.”  
 ( pág. 21 )



- Dados sobre o livro:

. Título Original: Fight Club
. Autor Chuck Palahniuk
. Editora: Leya
. Ano: 1996
. 7ª Reimpressão
. ISBN: 978-85-8044-449-0
. Tradução de: Cassius Medauar
. Sinopse:
Chuck Palahniuk narra a história de um jovem funcionário que descobre que sua frustração e ira não podem ser acalmadas com o consumo desenfreado que a mídia oferece. Ele encontra alívio e redenção após horas de luta em pequenos clubes escondidos nos porões de bares da cidade. O Clube da Luta é idealizado por Tyler Durden, que acredita ter encontrado uma maneira de viver fora dos limites da sociedade e suas regras sem sentido. Mas o que estar por vir de sua mente pode piorar muito daqui para frente.



“ O que as pessoas são no clube da luta não tem nada a ver com o que são no mundo real. Mesmo se você disser ao garoto da copiadora que a luta dele foi incrível, não estará falando  com o mesmo homem. A pessoa que sou no clube da luta  não é a mesma que meu chefe conhece. Depois de uma noite no clube da luta, tudo que existe no mundo real passa a ter menos importância.” 
 ( Pág. 57 )


Quebrando a Primeira Regra do Clube da Luta

      Há um bom tempo desejava ler o Clube da Luta e finalmente consegui encaixá-lo na  meta de leitura. Já tinha visto o filme algumas vezes, pois gosto bastante, mas desejava conhecer a versão literária e meu único arrependimento foi não ter  lido antes essa obra prima que divide várias opiniões.
      O Clube da Luta conta a história  de um homem que não informa seu nome, no alto do edifício Parker- Morris com a arma do seu amigo Tyler Durden na boca enquanto mesas, arquivos e computadores caem em volta do prédio saindo pelas janelas quebradas.
      A partir deste momento, o narrador retorna a história no momento em que estava abraçado ao Grande Bob no porão da igreja Trindade Episcopal participando de um grupo de apoio. Mesmo  sendo um homem simples com uma vida confortável onde possuía  um apartamento bem mobiliado, um emprego em uma empresa de seguros que garantia  uma boa renda, o narrador tinha a sensação que vivia uma vida medíocre e com isso, passava as semanas infeliz e sem dormir.
      Atormentado pela insônia, foi ao médico alegando que estava sofrendo e o médico mandou o narrador comparecer no porão da igreja durante a noite para ver pessoas com doenças degenerativas, que sofriam de parasitas celebrais ou pessoas com câncer  frequentando grupos de apoios, pois isso era sofrimento de verdade.
      Então ele foi e mesmo não sofrendo nenhuma doença, o narrador passou a frequentar os grupos de apoio porque achou conforto que tanto  procurava e novamente voltou a dormir como bebê.
      No entanto, o protagonista começou a perceber uma mulher participando  dos mesmos grupos de apoio e pior, Marla Singer também estava lá com as mesmas intenções do narrador, sem sofrer nenhuma doença grave também.
      Isso foi o fim para ele, porque a presença de Marla mostrava que ele era tão falso como ela e toda aquela sensação boa que tinha quando saía das reuniões de apoio, foi novamente bloqueada e insônia retornou para sua vida.
      Contudo, o apartamento do protagonista explodiu enquanto ele estava viajando  a trabalho, sobrando apenas as paredes de concreto. Depois que conversou  com a polícia,que não descartou ser um incêndio criminoso, o narrador não tendo para onde ir acaba telefonando para Tyler Durden. Um homem bem excêntrico que o protagonista conheceu na praia, durante a viagem.



      Tyler  trabalhava  como garçom em um restaurante e projecionista em um cinema e quando o protagonista encontrou com ele no bar e beberam  algumas cervejas, Tyler pediu para o narrador dar um soco nele para começarem uma briga no estacionamento, em troca o narrador poderia morar na casa dele.
      Conforme eles trocavam  socos, outros homens  que   também estavam no bar foram aproximando e ficavam ao redor de Tyler e o narrador, gritando e torcendo por eles. Só não sabiam que a primeira luta do Clube da Luta estava acontecendo naquele estacionamento. A partir daí, esses homens passaram se reunir nas madrugadas em porões de bares com o propósito de lutar e mostrar para a sociedade o real sentido da vida sem estarem presos a vida moderna.
      Todos os acontecimentos que ocorre na história eu já conhecia, porque o filme é extremamente fiel ao livro. Apenas o final da obra é um pouco diferente e mesmo sabendo tudo que estava acontecendo no enredo, a versão literária é bem escrita, enriquecendo demais a forma de pensar  sobre o modelo de vida perfeita que muitas pessoas procuram.
       As criticas de Palahniuk sobre a humanidade e o consumismo é tratado de forma importante, mas ao mesmo tempo de forma  irônica para perturbar e espantar alguns leitores. Esse é o tipo de livro que faz refletir e questionar imensamente.
       Tyler e o narrador da história são personagens completamente opostos, por isso o clube da luta foi crescendo como  uma seita onde todos os homens são iguais dentro do clube, porém Tyler foi incluindo  vários  projetos secretos dentro do clube. Projetos que no decorrer  da história ficaram  cada vez mais  perigosos, até chegar ao ponto do inicio do livro, com o protagonista com a arma de Tyler na boca.
      Marla também é uma personagem importante no enredo. Não decepcionou nos momentos que apareceu e tornando-se inesquecível no momento que Marla surta  com os dois personagens por causa da fabrica de sabão.  Superou as expectativas literárias.
      A edição contém a capa contendo a imagem da barra de sabão simbolizando a fabrica, a diagramação está ótima com folhas amareladas conhecida como papel pólen. Facilitou e tornou a leitura bem agradável.   
      Finalizo minha opinião recomendando para todos os leitores que gostam do filme e deseja conhecer a versão literária ou leitores que ainda não conhece a obra.  Vale demais a pena ler este clássico, mas leia com bastante atenção, pois as criticas irá mudar sua forma de pensar. 



 “ Temos que mostrar a esses homens e mulheres a liberdade, e faremos isso escravizando-os. Mostraremos a eles a coragem ao assustá-los.” 
 (  pág.  187 )

 


 

       Eu escolhi esse livro para fazer parte do Desafio 12 Meses Literários. Quem está participando do desafio, em Março, precisava ler  um romance escrito por homem.
       Eu escolhi Clube da Luta  porque comprei este livro há muito tempo e tinha uma enorme expectativa por ele por causa do filme ser um dos meus favoritos, mas acabava adiando a leitura. O desafio ajudou entra para lista de favoritos da lista de lidos.
 
  
     . Sobre o autor:



       Chuck Palahniuk (nascido em Pasco, Washington a 21 de Fevereiro 1961) é um escritor residente em Portland, Oregon. O seu trabalho mais popular é Fight Club (Clube de Combate em Portugal e Clube da Luta no Brasil), que foi posteriormente adaptado para cinema.


      Já leu Clube da Luta?
      Então comente o que achou dele. Vou adorar conhecer sua opinião.



 renata massa