07 março 2017

[ Resenha ] Desafio de Leitura #12mesesdepoe – Eleonora



     Olá Pessoal!
     Tudo bem?
     Hoje eu estou trazendo a terceira resenha do projeto de Leitura Coletiva das Obras de Edgar Allan Poe 2017, organizado pelo Blog da Anna Costa.
     Venha conferir:


   
   


Desafio de Março


Eleonora

     Eleonora é o terceiro conto que leio em 2017, para o projeto leitura coletiva das obras de Edgar Allan Poe, onde todos participantes irão ler um conto por mês durante o ano e este conto foi publicado pela primeira vez em The Gift  no ano de1841.
     No conto o narrador relata ser primo da Eleonora e moravam juntos com a tia, mãe da protagonista,  no Vale da Relva Multicor desde a infância. Durante quinze anos, o narrador e a sua prima Eleonora passeavam pelo vale de mãos dadas e após alguns anos, a paixão ficou inevitável para os primos.
     Todo o vale da Relva Multicor parecia ter absorvido o amor do casal e refletia a beleza da paixão deles através da natureza. Estranhamente o vale adquiriu uma tonalidade profunda, as flores brotavam e brilhavam com facilidade, as árvores floresciam e rio ficava repleto de peixes.
     No entanto, Eleonora adoeceu inesperadamente e sua morte não podia ser evitada. Na tentativa de diminuir a tristeza de Eleonora, o narrador prometeu para sua grande amada permanecer fiel a ela e  nunca se casar com outra mulher ou caso ele traísse a promessa, sofreria uma terrível  maldição como castigo.
     Eleonora faleceu e foi enterrada no vale, porém o narrador sem a presença da amada sofria uma tristeza profunda e o vale novamente absorveu todo o sentimento,  perdendo a cor e tornando-se um lugar sombrio.
     Não restou muito tempo para o  protagonista abandonar o vale e procurar por novas emoções em outra cidade.
     Perante algum tempo, o narrador cumpriu a promessa de ser fiel aos sentimentos que teve com Eleonora, mas assim que conheceu  Ermengarda, o vazio que sentia no peito foi tomado por um amor bastante forte e rapidamente casou-se com ela, esquecendo da promessa que tinha feito à prima. Até  uma certa noite que Eleonora resolveu lhe visitar.
     No início do conto o narrador admitiu que estivesse louco, mas durante a leitura dá para perceber que a insanidade do narrador é  apenas uma desculpa para contar os acontecimentos sobrenaturais que ocorreu com ele após a morte da  Eleonora.
     O conto é muito curto, no entanto não deixa  de ser grandioso mostrando como o amor pode ser passageiro. Também é extremamente rico em detalhar a beleza da natureza como algo perfeito e  encantador. 
     Contudo, após a morte da prima o mundo que o protagonista descreve, torna-se surreal, por isso ele afirma que  não confia na própria sanidade e trouxe um final cheio de surpresas.
     Enfim, recomendo que experimente a escrita de Poe, pois os terrores que ele descreve com intensidade são terrores que geram na mente dos personagens.
     Poema lido e  Conto do desafio #12mesesdepoe do mês Março resenhado maravilhosamente. Leiam Edgar Allan Poe!

 

“Digamos, então, que sou louco. Reconheço, pelo menos, que há dois estados diferentes da minha existência mental - o estado de uma razão lúcida, indiscutível e referente à memória de acontecimentos que constituem a primeira época da minha vida, e um estado de trevas e de dúvida, relativo ao presente, bem como à recordação do que constitui a segunda grande era da minha existência.”


 
   . Conheça as outras resenhas dos contos do desafio #12mesesdepoe:


       . Já leu o conto?
       . Então me conta o que achou dele. Vou adorar ler seu comentário.



 renata massa