31 março 2017

[ Lidos do Mês ] Março – 2017



       Oi Pessoal!
       Tudo bem?
       Hoje eu  vou falar sobre as minhas leituras do mês de Março, para concluir o mês, como sempre faço.
       Consegui ler bastante seis  livros mais um conto do desafio de Edgar Allan Poe. As leituras foram bacanas com direito a dois livros entrarem na lista de favoritos.  
      Confira as minhas viagens literárias, quem sabe você fique interessado por alguma delas:





. A Tempestade

( Manoela Titoto )

   Iniciei minhas viagens do mês de Março, lendo uma história merecia mais páginas. A qualidade da história é ótima mostrando um suspense bem construído e deixando a escrita da autora bastante consistente, surpreendendo positivamente. 
   Infelizmente a autora pecou em um detalhe. Não aprofundou em alguns trechos e acabou entregando algumas pistas muito rápido. 
   A tempestade é um livro encontrado apenas em formato digital, mas para quem gosta de suspense eu recomendo que leia.






. Eleonora:

 ( Edgar Allan Poe )

    Li o terceiro conto do desafio #12mesesdepoe 2017. 
    O conto é muito curto, no entanto não deixa  de ser grandioso mostrando como o amor pode ser passageiro. 
    No início o narrador admitiu que estivesse louco, mas durante a leitura dá para perceber que a insanidade do narrador é  apenas uma desculpa para contar os acontecimentos sobrenaturais que ocorreu com ele após a morte da  Eleonora. 
    Recomendo demais.






. Ardente

(  Bárbara Shênia )

     Li também a continuação de voraz e o casal Dimitris e Alice fizeram um par perfeito para os leitores que gostam de um romance bem erótico, pois são aptos a troca de casais e naturalmente o enredo é mais pesado. 
    Os leitores mais conservadores ou ainda não adquiriram maturidade suficiente para esse tipo de leitura, podem interpretar mal a relação deles e achá-los um casal disfuncional com gostos anormais. 
   Ardente contém um cenário totalmente viciante, mostrou alguns lugares da Grécia e do Rio de Janeiro. É um erótico bem escrito e com certeza  foi a viagem literária mais quente que tive deste mês.







. Dívida de Honra

( Glendon Swarthout  )

    Com uma história espetacular e humana, Dívida de Honra conseguiu ser o primeiro livro a entrar na lista dos favoritos de 2017. 
    O velho oeste é terra de homens durões, entretanto Mary Bee mostrou ser uma personagem altura desses homens, foi maravilhosa, inesquecível e nada frágil cuidando de quatro mulheres que perderam a sanidade por causa de sofrimento. 
    Briggs foi leal no momento que menos esperava, conquistou respeito quase no final do livro ajudando as mulheres durante a jornada. No inicio era um sujeito pouco confiável, porém Briggs se regenerou surpreendentemente durante a trajetória. 
     Infelizmente Mary não teve um final que eu desejava, mas será uma protagonista difícil por causa da sua bravura.






. Quando Eu te Conheci:

( Sérgio Fragoso )

    Também li um romance bem agradável onde o casal  Nicholas e Choe tiveram um relacionamento  leve. 
    Infelizmente não me conquistaram totalmente, porque fiquei com grande expectativa na história que revelava o passado das irmãs  Choe e Kate. Achei que o autor poderia ter explorado mais nos trechos dos confrontos entre Choe e sua mãe Mary, pois  ela tinha tudo para ser uma personagem de destaque, porém ficou superficial na trama.
     No momento que a Mary tinha um papel importante que precisava desvendar todo o mistério foi revelado naturalmente e ficou um enredo muito leve.







. Elemental – Em Busca das Origens:

( Bianca Hubert )

    Surpreendi  com uma história de fantasia, que deixou a sensação de está fazendo parte da magia que contém no livro e fui transportada  para Helementtarë na pele de uma semielfa chamada Arwen. 
    Os personagens são bem construídos e entraram na trama de forma natural, despertando os mistérios e revelando que a história pode ser explorada fantástica. 
   Não vejo a hora de ler a continuação dessa jornada.









. Clube da Luta:

(  Chuck Palahniuk )


    Há um bom tempo desejava ler o Clube da Luta e finalmente consegui encaixá-lo na meta de leitura. 
    Todos os acontecimentos que ocorre na história eu já conhecia, porque o filme é extremamente fiel ao livro. Apenas o final da obra é um pouco diferente e mesmo sabendo tudo que estava acontecendo no enredo, a versão literária é bem escrita, enriquecendo demais a forma de pensar sobre o modelo de vida perfeita que muitas pessoas procuram. 
    Vale demais a pena ler este clássico, mas leia com bastante atenção, pois as criticas irá mudar sua forma de pensar.





Ufa! Mês  de Março concluído, aqui no blog Histórias Existem Para Serem Contadas.
E que venha às leituras de Abril!


       Já leu algum desses livros?
       Então me conte o que achou deles. Vou adorar ler seu comentário.


 renata massa