10 maio 2017

[ Resenha ] A Máscara do Rei | Francine Cândido



    Olá pessoal!
    Tudo bem?
    Hoje eu trago para vocês a resenha do livro A Máscara do Rei, escrito pela autora nacional Francine Cândido e publicado pela Editora Arwen.



“ Um rei deve governar um reino da mesma forma que manipula sua arma. Se não souber um, também não saberá o outro. Um inútil, é a palavra certa. Odeio inúteis. Têm inúteis demais no mundo. É sempre preciso ser melhor que o Rei anterior, Eldon. Eu sei que deve ser difícil para você, já que virá depois de mim, mas pense que você pode usar de meu exemplo, um bom rei, para um reino em ascensão.” 
 ( Rei Svern ) 




. Dados Sobre o Livro:

- Autora: Francine Cândido
- Editora: Arwen
- 1ª Edição
- Ano: 2016
- 268 páginas
- ISBN: 9788568255575
- Sinopse: Um país talhado à espada chega ao ápice de uma guerra dinástica. Dois reinos disputam pelo controle da cidade sagrada, mas sua sede por poder levará todos à descobrir que o caminho é mais obscuro do que se imaginava. Da guerra se construiu um império, das cinzas e do sangue se forjou um rei. Na teia da mortalidade, jogar é a única forma de sobreviver, pois nem todas as peças permanecem inteiras no fim. Um rei que não quer guerra, mas tem de ir para ela. Um rei que quer destruir todos os seus inimigos, por pura glória e rancor. Um príncipe que precisa lutar pela sobrevivência.





“ Apresente seu filho, uma vez que demonstra tamanho orgulho. Mostre ao seu povo o herdeiro de sua casa. Cante seu nome ao vento e verá que o diabo se esconderá da força deste poder. Nem a morte vai derrotá-lo.”  
 ( Rainha Cassandra )


Interessante!

        Para quem gosta de um enredo  medieval repleto de mistério, traições e luta por poder, irá gostar do livro A Máscara do Rei. Confesso que a trama proporcionou emoções fortes e consegui ter uma leitura bem rápida, pois sou um pouco lenta com leituras digitais e terminei o livro com uma expectativa boa.  
       A história tem início em uma noite fria no reino Darastrix  no continente Gan. Havia três horas que o rei Svern, tinha sido expulso do quarto enquanto sua rainha Cassandra tentava trazer ao mundo um herdeiro para o reino. Todos sabiam que o rei precisava de um herdeiro para acalmar o povo fervoroso que acreditava no abandono de Deus em meio à guerra e discórdia com o império dos Vutham. 
       O casal tiveram outros filhos, dois meninos gêmeos e a terceira filha chamada Leah. Os gêmeos, porém tiveram vidas bem curtas. Richard faleceu  após dois meses de vida e Edward sobreviveu. Até chegou guerrear  ao lado do pai, mas  morreu na batalha por um dos soldados do inimigo. 
       Apesar do parto ter sido bem conturbado, Cassandra conseguiu trazer  ao mundo o herdeiro que o rei Svern tanto desejava e o pequeno  príncipe recebeu o nome de Eldonran Vaecaesin, no momento que foi apresentado para o povo de Darastrix.
       No entanto, os anos trouxeram uma tristeza para a vida do rei Svern, depois que a rainha Cassandra foi morta de forma  cruel por ladrões, o rei Svern tornou-se um homem totalmente frio e egocêntrico. Afastou-se dos filhos, vivia amargurado pela falta de Cassandra e foi obrigado a casar-se  com Sarene para dar seu povo uma nova rainha. Mas os pensamentos do rei Svern eram sempre em torno de Cassandra e  conquistar as terras dos Vultham para ser o único rei de Gan.  
      Os filhos tinham poucos momentos de convívio com Svern e como o rei tinha adoração por caça, resolveu levar o jovem  Eldon para caçar um javali.  Svern queria mostrar para seu filho de 12 anos que um bom rei tinha que aprender a governar um reino do mesmo modo que manipulava uma arma. Acontece que o príncipe Eldon acabou  sendo picado por uma serpente e foi levado  para o palácio entre a vida e a morte, por dois guardas  que acompanhavam eles durante a caça e milagrosamente Eldon conseguiu sobreviver.
      Enquanto isso, no reino Vultham, o rei Auran Ossalur estava reunido no salão nobre com seus cavaleiros e demais comandantes. Apesar de ser um pouco mais novo que o rei Svern, o rei Auran estava exalto da guerra e continuar com ela só iria traz mais sofrimento e destruição para o povo.
      Entretanto, o rei Auran foi obrigado a declarar uma nova batalha contra  o reino Darastrix após descobrir um traidor dentro do seu reino e para piorar, o traidor tinha feito um pacto com os hazans.
      A Máscara do Rei é um livro bastante introdutório, mas não considero isso como um ponto negativo. Pelo contrario, deixou uma sensação positiva com várias portas abertas para diversos acontecimentos importantes terem a possibilidade de aumentar o nível  da  fantasia medieval.
      A escrita da autora Francine consegue prende nas primeiras páginas. O prólogo despertou um  interesse maravilhoso por causa do nascimento conturbado do príncipe Eldon. Foi neste momento que fui fisgada pela leitura e não consegui mais escapar. A leitura fluiu agradavelmente até o final e desfecho terminou  bem surpreendente.
      Os personagens são bem construídos. Eldon mostrou uma sabedoria e amadurecimento fantástico. Foi humilde e humano, sempre desejava paz e fartura para o povo. Tentando não cometer os erros dos reis anteriores, principalmente os erros do pai.
      Além dos reis Svern e Auran, a madrasta de Eldon, Sarene é aquele tipo de personagem insano.Foi uma verdadeira cobra dentro do palácio e vivia um péssimo relacionamento com o rei Svern. O padre Mayer é o personagem que mais gostei além de Eldon. Mayer era um dos poucos personagens honestos no livro. 
      A capa é sensacional e corresponde com a história.  Como minha leitura foi em formato digital não tem como avaliar a edição, contudo se  a diagramação do livro impresso for a mesma do livro digital, eu considero  muito boa.
     Cada  início de capítulo é intitulado com o nome do personagem que está narrando a história. Outro ponto que considero positivo, pois o enredo apresentou vários pontos de vista com seguimento da história. Nenhum momento teve cenas contadas repetidamente pelos personagens.
     Ainda na abertura de cada capítulo, a página é decorada  com cenas de guerra e logo abaixo do nome do personagem narrador, contém uma frase caracterizando  o personagem.  As frases são bacanas  e  poéticas.
    Enfim, finalizo minha opinião indicando a história  para leitores que apreciam enredo com  guerras, intrigas, traições e várias magias.





Livro digital fornecido gentilmente pela autora Francine Cândido.

  "Se talvez ele se preocupasse menos com os Vuthan e mais com seu povo... A guerra mata até mesmo aqueles que não vão para o campo de batalha", pensou o menino que lembrava toda vez o que seu mestre dizia sobre a guerra contra outro povo. "Inútil e desumano, principalmente desumano." 
( Príncipe Eldon )



    . Sobre a autora:



     Francine Cândido tem vinte e três anos, é casada. Cursa Licenciatura em Letras pela Unicesumar e é mestre de RPG há oito anos. É apaixonada por livros e seu gênero favorito é fantasia medieval. É escritora pela Editora Arwen, com seu mais novo romance: A Máscara do Rei. Além de ser escritora pela Clube de Autores, com seu primeiro romance: Tempos de Escuridão.


    Já leu A Máscara do Rei?
    Comente sobre ele. Sua opinião é muito importante para o blog.
    Deixe seu link para que eu possa retribuir. 
    Obrigada e volte sempre.


 renata massa