23 junho 2017

[ Resenha ] Desafio de Leitura #12mesesdepoe – Três Domingos Numa Semana



     Olá Pessoal!
     Tudo bem?
     Hoje eu estou trazendo a quinta resenha do projeto de Leitura Coletiva das Obras de Edgar Allan Poe 2017, organizado pelo Blog da Anna Costa.
     Venha conferir:


      


Desafio de Junho



Três  Domingos Numa Semana

     Três  Domingos Numa Semana é o sexto conto que leio em 2017, para o projeto leitura coletiva das obras de Edgar Allan Poe, onde todos participantes irão ler um conto por mês durante o ano e este conto foi publicado pela primeira vez em 1941.
     Neste conto muito curto, o leitor conhecerá Bobby, um rapaz que ficou órfão durante a infância e foi morar com seu tio, senhor Rumgudgeon. Esse rapaz é apaixonado pela Catarina, filha do senhor Rumgudgeon e deseja se casar com ela e resolve perguntar ao tio, se ele concede  a moça  em casamento.
     No  entanto, o senhor Rumgudgeon, que demonstrava ser um velho ranzinza, informou para o rapaz que só aceitaria o casamento de Catarina com o sobrinho-neto quando houvesse três domingos em uma mesma semana.
     Impossível? Não para Edgar Allan Poe!
     Apesar do conto ser muito curto, ele é bem desenvolvido.  Porém não conseguiu me conquista completamente pelo fato de não ter uma descrição do cenário, como teve nos contos anteriores.
     Mas não nego que gostei bastante da  ideia que Catarina teve para ajudar o grande amor da sua vida, a conseguir os três domingos e forçar o pai marcar a data do casamento.Essa foi a melhor parte.
     Enfim, recomendo que experimente a escrita de Poe, pois é simplesmente maravilhosa. Sempre tem algum detalhe que destaca e fica inesquecível. Poema lido e  Conto do desafio #12mesesdepoe do mês Junho resenhado.




“Vou fazer-lhe logo esse favor. Você terá meu consentimento... e a bolada, não podemos esquecer a bolada... Vejamos! Quando será? Hoje é domingo, não é? Bem, então... vocês se casarão precisamente, veja bem! — quando se juntarem três domingos em uma mesma semana. Está-me ouvindo, moço? Por que está ai de boca aberta? Estou dizendo que você terá Catarina e a bolada dela quando se juntarem três domingos numa semana. Mas, enquanto não acontecer isso — meu jovem mandrião — enquanto não acontecer isso, você não terá nada, nem que eu morra! Você me conhece, sou um homem de palavra. E agora... rua!”


   . Conheça as outras resenhas dos contos do desafio #12mesesdepoe:


     
       Já leu o conto?
      Comente sobre ele. Sua opinião é muito importante para o blog.
      Deixe seu link para que eu possa retribuir.
      Obrigada e volte sempre. 



 renata massa