14 agosto 2017

[ Resenha ] A Noite dos Mortos – Vivos e A Volta dos Mortos – Vivos | John Russo



   Olá pessoal!
   Tudo bem?
   Hoje eu trago  para vocês, a resenha do livro A Noite dos Mortos – Vivos e A Volta dos Mortos – Vivos escrito pelo John Russo e publicado pela Editora Darkside.
    Conheça minha opinião:




 “ A chama da vida arde por um tempo e então se apaga. 
As sepulturas aguardam pacientemente a hora de serem ocupadas. 
A morte é o fim de toda vida.” 
( Pág. 17 )

 



. Dados Sobre o livro:

- Título Original: Undead – Night of The Living Dead & Return of The Living Dead
- Autor: John Russo
- Editora: Darkside
- 1ª Edição
- Ano: 2014
- 320 Páginas
-ISBN: 978-85-66636-21-5
- Tradução de: Lucas Magdiel
- Sinopse: A DarkSide desenterra mais um clássico do terror e vai direto na fonte: A Noite dos Mortos-Vivos, considerado uma das maiores obras-primas do gênero e um livro obrigatório para os fãs de The Walking Dead, Resident Evil, Orgulho e Preconceito Zumbi e tudo aquilo que englobe os carismáticos comedores de cérebros. Se hoje os zumbis estão em alta é porque, em 1968, George Romero e John Russo se reuniram para escrever o roteiro de A Noite dos Mortos-Vivos e mudar a história do cinema.
 

 




“ Eles sabem que estávamos aqui agora. 
Não é mais nenhum segredo, se é que já foi alguma vez.
 E se não nos defendermos, eles vão nos matar.” 
(  pág. 39 )



Um Clássico Maravilhosamente Desenterrado

      A literatura é bastante fantástica, não promete nada, mas ao mesmo tempo  enriquece muito a vida do leitor. Ela oferece várias vidas, sentimentos variados e principalmente faz viajar para todos os cantos do mundo em qualquer época. 
      O leitor tem a oportunidade de viver na pele do personagem momentos felizes, angustiantes, românticos, cheios de adrenalina, tristes ou arrepiantes, mas desta vez, a literatura me fez viajar para 1968 quando a obra prima em relação aos zumbis ou melhor  os mortos- vivos  foram apresentados pela primeira vez.
      O livro reuniu A Noite  dos Mortos – Vivos e  a continuação A Volta dos Mortos – Vivos em um único volume que dispensa apresentações, pois é um verdadeiro clássico do terror psicológico.
      A Noite dos Mortos – Vivos começa com os irmãos Johnny e Bárbara chegando ao cemitério de uma zona rural para deixar uma coroa de flores no túmulo do pai deles, como a mãe havia pedido.
      Enquanto a noite se aproximava,  Johnny fumava um cigarro impaciente e incomodado com a  demorava de Bárbara com as preces que fazia para o pai. Parecia até que ela fazia de propósito, só para irritá-lo ainda mais.
      De repente Johnny percebeu um homem com o caminhar meio rastejante e a roupa esfarrapada aproximando deles, imaginando que fosse o zelador ou alguém visitando o túmulo de um familiar, porém quando o individuo de aparência pálida chegou perto deles, atacou Bárbara agarrando pelo pescoço.
      Rapidamente Johnny com intuito de proteger a irmã começou brigar com o agressor. Eles rolam pelo chão batendo um no outro, no entanto, Johnny é mordido nas mãos e pescoço violentamente. No meio da escuridão com apenas a luz da lua, Bárbara totalmente paralisada de choque, viu o irmão sendo morto  pelo agressor que esmagava o crânio de Johnny  com uma pedra, depois sendo rasgado e  devorado pelo agressor, que mastigava sua carne como  um ser animalesco.
     Apavorada, Bárbara sai correndo pedindo ajuda, conseguindo chegar ao carro do irmão, mas sem a chave e com agressor que persistia  em segui-la, Bárbara consegue soltar o freio de mão para o carro descer  a colina. Dessa maneira ela encontra uma casa para esconder no mesmo momento que Ben, outro sobrevivente, também está chegando ao local procurando esconder de outros mortos - vivos.
     A leitura é ágil, o enredo criou um clima de tensão em vários trechos, principalmente  nos conflitos que aconteceram com as pessoas que estavam dentro da casa rodeada por mortos vivos. Há tentativa de fuga sem sucesso, crises histéricas e confrontos de idéias que prende até o final da história.



 
       Na segunda história, A Volta dos Mortos-Vivos começa após dez anos do primeiro ataque dos mortos - vivos, com Bert Miller dirigindo uma caminhonete em alta velocidade, acompanhado de suas três filhas Karen, Ann e Sue indo para o funeral da filha mais nova da família Dorsey que havia morrido de febre reumática.
      Os moradores ainda viviam assustados com a possibilidade dos mortos retornarem a vida, por isso durante a cerimônia fúnebre as pessoas cravavam uma estaca na cabeça dos mortos, para garantir que eles não virassem morto-vivos.
      Após as orações do reverendo Michaels, a Sra. Dorsey  estava sendo confortada pela mulheres da congregação enquanto o Sr. Dorsey com lágrimas escorrendo  pelo rosto, fincava a estaca no crânio da filha. No entanto a porta da casa deles  foi escancarada por um garotinho  avisando que  um ônibus tinha capotado e  havia várias pessoas mortas.
      Rapidamente os membros da congregação se juntaram fora da casa, carregando diversas estacas e marretas para cravarem na cabeça dos indivíduos que morreram no acidente. Esses dois itens tornaram-se necessários e era normal as famílias carregarem  esses materiais dentro do carro.
     Quando chegaram ao local do acidente, os membros da congregação começaram a cravar as estacas nos falecidos enquanto o reverendo Michaels fazia as preces necessárias para as almas encontrarem seus caminhos, porém  com a chegada da polícia, os membros da congregação foram embora antes de terminar de cravar as estacas em todos falecidos. Dando oportunidade das pessoas que morreram no acidente e não tiveram estacas fincadas na cabeça, se levantarem como mortos- vivos  sedentos por carne humana. 
     Desta vez, a história está bem elaborada, mostrando o comportamento humano diante ao extremo e não concentrou apenas em um único local. Os personagens foram divididos, alguns permaneceram trancados, escondendo das atrocidades, alguns tentando encontrar outros sobreviventes e outros aproveitando  da situação para praticar monstruosidades.
     Achei o livro dinâmico, rápido de ser lido por ter um ótimo desenvolvimento e creio que as duas histórias serviram de base para as histórias atuais de zumbis que conhecemos.
     A obra é publicada em duas edições, a Limited Edition, versão em capa dura e na versão brochura, essa que mostro na foto inicial. A versão Classic Edition contém um preço mais acessível, no entanto ambas possuem o acabamento luxuoso, cenas do filme de 1968. A única diferença são as capas, contudo ambas são dignas de colecionador.
     Enfim... Deixei várias  informações  para o leitor que aprecia história de terror, principalmente zumbis, pegar este livro e conferir as duas histórias inteiras. Pode ter certeza, não contei nem a metade delas. Recomendo este clássico!



 


“Que sua alma descanse em paz.
Que sua alma deixe o corpo.
Que seu corpo permaneça.
Que seu corpo transforme-se em pó, como disse nosso Senhor.
Que seu corpo nunca se erga novamente.
Liberte a alma para os céus e transforme todo o resto em pó.” 
( pág.175 )




      . Sobre o Autor:

     John Russo (1939) é escritor, roteirista e diretor, conhecido por sua participação na obra seminal de George Romero A Noite dos Mortos-Vivos (1968). Escreveu os roteiros para Midnight (1982), filme que também dirigiu; The Return of the Living Dead (1985) (não confundir com o romance de mesmo nome que acompanha este livro); e Night of the Living Dead (1990). Atuou em pequenos papéis como ator, o mais conhecido deles como o zumbi não creditado do clássico de 1968. Seus livros de não ficção Making Movies e Scare Tactics são considerados Bíblias do cinema independente e reverenciados por nomes como Steven Spielberg, George Lucas, Stephen King e Quentin Tarantino. 



       Já leram A Noite dos Mortos – Vivos e A Volta dos Mortos – Vivos?
       Comente sobre ele. Sua opinião é muito importante para o blog.
       Deixe seu link para que eu possa retribuir.
       Obrigada e volte sempre.