2 de outubro de 2017

[ Resenha ] Apocalipse Zumbi – Os Primeiros Anos | Alexandre Callari



    Olá pessoal!
    Tudo bem?
    Hoje eu trago para vocês a primeira resenha do mês de Outubro, onde tentarei resenha apenas livros que encaixam no Clube do Medo do blog Histórias Existem Para Serem Contadas.
   Com vocês a  resenha do Apocalipse Zumbi – Os Primeiros Anos, escrito pelo Alexandre Callari e publicado pelo Selo Generale da Editora Évora.


. Dados Sobre o Livro:

- Autor: Alexandre Callari
- Editora: Évora
-1ª Edição
- Ano: 2011
- 336 Páginas
- ISBN: 978-85-63993-19-9
- Sinopse: O caos reina no mundo. A civilização entrou em colapso. As comunicações, a energia elétrica e a vida em sociedade, como a conhecemos, praticamente se extinguiram. Nem toda nossa tecnologia foi capaz de nos proteger e evitar que dois terços da humanidade morressem. Os poucos que sobreviveram estão exaustos e tentam reunir o que ainda resta das suas forças e recursos para se manterem vivos. E, para piorar, eles não estão a sós. Dia e noite, são perseguidos pelos contaminados - sempre à espreita com seus olhos vermelhos, pele pálida, dentes podres e uma terrível sede de sangue e de carne humana. Nesse cenário de terror e desesperança, Manes luta desesperadamente para manter sua comunidade unida. Ela subsiste em uma construção cercada por paredes de concreto chamada Quartel. Porém, quando alguns de seus membros estão em apuros do lado de fora, sendo cruelmente caçados pelos contaminados, Manes parte para resgatá-los. A sua ausência e a chegada do enigmático Dujas abalam severamente o tênue equilíbrio interno do Quartel, colocando em risco a vida de todos. O perigo e o medo tomarão conta deste, que é um dos poucos redutos em que homens e mulheres vivem em "segurança". Cheio de intrigas, mistério e horror, Apocalipse Zumbi é uma aventura de ficção eletrizante, com muitos elementos de realidade que mexerão com a mente e o coração dos leitores. Alexandre Callari oferece nesta obra o melhor do gênero zumbis e, ao mesmo tempo, cria um mundo à parte, que conta com suas próprias regras e lógica. Bem-vindo ao universo de Apocalipse Zumbi!


Livro oferecido gentilmente pela Editora Évora.
 SKOOB | EDITORA | COMPRAR

     Sensacional!

       A história de Apocalipse Zumbi acontece quatro anos após uma epidemia que exterminou grande parte da população, deixando a sociedade que conhecemos e vivemos praticamente devastada e reduzida a cinzas.

      No início, as pessoas questionavam o que era e de onde este vírus tinha vindo, mas com tempo elas passaram se preocupar mais em conseguir sobreviver. O poder público não sabia lidar com as pessoas contaminadas, que apresentavam sintomas de agressividade incontrolável  ao ponto de tornarem irracionais famintas por carne humana e sedentas por sangue de outras pessoas.

      Neste cenário de terror, os poucos humanos que restaram, estavam tentando sobreviver à nova era da civilização, refugiando numa pequena comunidade chamada  Quartel Ctesifonte, localizado na grande São Paulo.

     A história  inicia com Manes, líder do Quartel acordando em seu quarto enquanto sua esposa Elizabeth estava arrumando alguns itens no quarto silenciosamente, mas quando percebeu que o marido havia acordado, informou que um grupo de batedores haviam retornado para o quartel  trazendo com eles um novato.

     Essa notícia deixou Manes desconfiado, pois não estava tendo um bom pressentimento sobre o Dujas e  resolveu  conhecer o novo sobrevivente do quartel enquanto ele fazia seu desjejum. No entanto, uma jovem chamada Judite, que trabalha dentro da comunidade, chega aflita  diante de Manes com a notícia que outro grupo de  batedores não tinham retornado ao quartel. Obrigando Manes montar um novo grupo de resgate e deixando o Quartel nas mãos da sua esposa Elizabeth.

     Quando eu comecei a leitura de  Apocalipse Zumbi, eu tentei não lembrar das outras histórias que já conheço sobre zumbis, como  Walkind Dead, A Noite dos Mortos Vivos, Guerra Mundial Z... Pois eu tenho a concepção que cada enredo tem seu cenário construido de forma criativa.

     Dessa forma a leitura desenvolveu rapidamente, mesmo sendo praticamente uma introdução para esse mundo apocalíptico. Então o leitor terá que ler a história com a consciência que irá encontrar  algumas explicações para compreender melhor o cenário e os personagens.

" Se alguém nasce com muita coragem, o mundo tem que destruir essa pessoa.
O mundo destrói a todos e, depois muitos se tornam fortes apesar disso, mas , aqueles  que não são afetados, o mundo mata! Ele mata os bons, os gentis e os  corajosos... Sem distinção!"
( Pág. 182 )  

     A narrativa de Alexandre é bastante fluída e bem detalhista, mostrando todos os personagens e cada personagem central tem um significado importante no seu nome. Isso enriquecedor mais a história. Além de  Manes Elizabeth e Dujas, também temos Zenóbia, Cufu, Conan, Espartano, Kogiro. Esse personagens também merecem destaques e são importante na história.

     Manes não é um líder perfeito. Ele é cheio de defeitos, é machista e tem atitudes estúpidas, mas creio que durante a trilogia ele vai se desenvolver como ser humano e tornar-se um líder ideal para liderar as pessoas que não estão contaminadas. No momento que o grupo de batedores está  fora do quartel e Manes está escolhendo as pessoas que irão com ele  para o resgate, a história passar ter dois cenários e o leitor tem o privilegio de conhecer o cenário  completo da trama. 

    O autor conseguiu achar o ponto certo e diferencial quando apresentou os seres humanos se transformando em Zumbis através  da epidemia e demonstrou a mente da pessoa infectada, mas ainda não tornou-se completamente perigosa. Essa ideia deixou o enredo  bem criativo e confesso que gostei bastante dessa parte.

    Contudo, Alexandre não esqueceu de destacar  a convivência, os problemas e conflitos que as pessoas enfrentavam dentro da pequena comunidade. Descrevendo a capacidade de cada personagem lidar com relacionamentos, seja no amor, na traição ou na amizade. Por isso eu afirmo em dizer, é uma história com personagens adultos, com situações adultas que algumas pessoas possam interpretar mal, então leia com a mente aberta.

    O desfecho do primeiro volume  é  intenso com acontecimentos  de tirar o fôlego. Ainda bem que já estou com segundo volume em mãos para saciar a curiosidade.

     A capa corresponde perfeitamente com o enredo da história, a diagramação está muito boa nas folhas amareladas  do papel Pólen. Além das ilustrações das cenas em preto e branco mostrando o cenário da história em ótima qualidade, a obra também acompanha um CD com trilha sonora muito boa e  vale a pena conferir porque é uma  adição muito boa.

     Enfim, se gosta de histórias de Zumbis e ainda não leu Apocalipse Zumbi, eu aconselho que leia porque Alexandre oferece uma aventura cheia de mistério.


“ Sei que na outra vida que tiveram, vocês eram pessoas comuns, e não guerreiros, mas  já é hora de parar de pensar no que éramos e começar a encarar o que somos!”
 ( Manes – pág. 332 )



   Sobre o autor:
  Alexandre Callari é editor e apresentador do programa Pipoca & Nanquim (pipocaenanquim.com.br), especializado em quadrinhos e cinema. É colecionador de HQs e seu acervo já foi exposto em diversas ocasiões em todo o país. É autor dos livros Brincando de Escrever (1999), Evolução é uma Opção (2009), O Dilema da Desatenção (2010), Quadrinhos no Cinema (2011) e Apocalipse Zumbi: Os Primeiros Anos (2011), entre outros. Também trabalha como tradutor e entre diversos títulos, já traduziu Conan - o Bárbaro (Ed. Generale), Será que ele mente para você (Ed. Gente), Economia para leigos (Alta Books) e A Revolução da Inovação Aberta (Ed. Évora). Quando jovem trabalhou também com música e artes marciais. Atualmente é editor das revistas da DC Comics no Brasil.


      . Durante o mês de Outubro, no Instagram está acontecendo o Sorteio de um exemplar de Apocalipse Zumbi – Os primeiros Anos e Apocalipse Zumbi 2 – Inferno na Terra. Se gostou da história  venha participar do sorteio!




       Já leram Apocalipse Zumbi – Os primeiros Anos?
      Comente sobre ele. Sua opinião é muito importante para o blog.
       Deixe seu link para que eu possa retribuir.
       Obrigada e volte sempre.