6 de abril de 2018

[ Resenha ] Filhos de Nazistas | Tania Crasnianski


   Olá pessoal!
   Tudo bem?
   Hoje eu trago para vocês a resenha do livro Filhos de Nazistas, escrito pela Tania Crasnianski e publicado pela Editora Vestígio.


. Título: Filhos de Nazistas
. Título Original: Enfants de Nazis
. Autora: Tania Crasnianski
. Editora: Vestígio
. 1ª edição
. Ano: 2018
. 238 Páginas
. ISBN: 978-85-8286-429-6
. Tradução: Fernando Scheibe
. Sinopse:  Até 1945, seus pais eram considerados heróis. Depois da derrota alemã, ficou claro que eram carrascos. Gudrun, Edda, Niklas e os outros retratados neste livro são os filhos de Himmler, Göring, Hess, Frank, Bormann, Höss, Speer e Mengele, alguns dos principais responsáveis pelo horror nazista. Crianças ou adolescentes durante a guerra, eles a viveram sob a proteção de seus pais afetuosos e poderosos. Para eles, a queda do Reich foi um verdadeiro choque de realidade. Inocentes, inconscientes dos crimes de seus pais, descobriram então toda a sua extensão. Alguns julgaram e condenaram. Outros continuaram reverenciando esses homens execrados por toda a humanidade. Filhos de nazistas retrata a ascensão e o cotidiano, ao mesmo tempo extraordinário e banal, desses altos funcionários que realizavam diariamente seu trabalho de morte – e depois conviviam com suas famílias, instaladas por vezes ao lado dos campos de concentração e extermínio – e descreve as existências singulares de seus filhos ao se tornarem adultos: a queda, a miséria, a vergonha ou o isolamento. Que laços eles mantiveram com seus pais? Como viver com um nome amaldiçoado pela História? Em que medida a responsabilidade pelos crimes é transmitida aos descendentes?



Livro oferecido gentilmente pelo Grupo Autêntica.
Resenha publicada anteriormente no blog Doces letras.


 Livro Fantástico!

     O período Nazista aconteceu no ano de 1933 e  até 1945, mas até hoje, as histórias e os acontecimentos desumanos revelam como a população sofreu dolorosamente nas mãos desses nazistas.  Depois da derrota alemã, os protagonistas responsáveis por espalhar horror e vários extermínios durante a guerra,  não imaginavam que seus descendentes, carregariam a herança dos atos que cometeram com tanta atrocidade. 

    É dessa forma que Tânia Crasnianski, neta de um ex-oficial da Força Aérea Alemã durante o período nazista, irá mostrar um lado pouco conhecido pelos leitores. Os filhos dos nazistas que nasceram  entre 1927 e 1944 que pertenciam famílias da elite do nazismo. Filhos de Himmler, Göring, Hess, Frank, Bormann, Höss, Speer e Mengele.

     Tânia relata com detalhes a vida familiar, as histórias de cada uma destas crianças e como elas eram tratadas diariamente e crescendo em campos de concentração. Como foram os filhos do Rudolf Höss, descendentes do comandante de Auschwitz. Esse capítulo começa com uma garotinha, Brigitte, gritando a mãe totalmente alegre por ter encontrado morangos no fundo do jardim da casa de campo luxuosa e confortável. 

     A mãe, Hedwig Hensel  resolve acompanhar a filha até o local onde estão os morangos silvestres. A garota pede permissão para  comer os morangos, mas a mãe alerta a filha que precisa lavá-los primeiro porque eles estão cobertos de pó preto e um cheiro forte de cinza. Um ato que parece comum para qualquer mãe que zela pelos filhos, no entanto  as cinzas que continha nos morangos era do Auschwitz. 

     A partir deste ponto, a história de Brigitte e dos irmãos, é relatada com todos os detalhes, lembranças fortes e dificuldades de suportar uma herança historicamente grave. Mas não pense que todos os filhos desses nazistas  foram como os filhos do Höss, rejeitando firmemente os atos do pai. 


“A noção de divisão psíquica, a coexistência, no sujeito, de duas potencialidades contraditórias, é uma maneira de explicar como esses homens puderam massacrar milhões de pessoas e ter, paralelamente, uma vida normal. Como semelhantes monstros podiam beijar seus filhos antes de sair para matar ou mandar matar, sem um pingo de humanidade, homens, mulheres e crianças?” 
( pág. 14 ) 
 


    Há filhos que seguiram o caminho da espiritualidade, preferindo manter a distância  dos acontecimentos. Outros mantêm afastados, mas respeitam as memórias paternas. Contudo, também há filhos que não renegaram nada, consideram os pais inocentes, que fizeram apenas aquilo que acreditavam ser justo. É quase inacreditável ler o capítulo com a história da Gudrun Himmler, filha de  Heinrich Himmler.

    Sem dúvida nenhuma, é um livro fantástico, mostrando o outro lado da moeda. A leitura surpreende em cada página com os relatos dos filhos, principalmente aqueles que defendem os pais, dizendo que qualquer ser humano tomaria as mesmas decisões se estivessem nas mesmas circunstâncias dos pais, cumprindo seu dever de alemão. 

    É difícil e complicado até para nós que somos leitores, imagina para os filhos e netos que carregam sobrenomes das pessoas que provocaram um período tão doloroso. Suas histórias fazem parte da História Mundial, naturalmente não serão esquecidos.  

    A edição está publicada no papel Off-White, contém dez páginas com várias fotos em preto e branco mostrando os filhos com pais. Bebês de colo, crianças ou adolescentes durante a Segunda Guerra, nos campos de concentração ou  na presença de Adolf Hitler. A diagramação está belíssima e a capa corresponde com o tema do livro.

    É uma biografia excelente com histórias marcantes, principalmente para leitores que gostam de temas que abordam a Segunda Guerra Mundial e acontecimentos nazistas. É uma fonte valiosa de conhecimento. Recomendo.  


“ Como esses filhos, sempre assombrados pelo destino paterno, o passado nazista permanece presente em nossas memórias.
 Mesmo quando as vítimas não estiverem mais aí para testemunhar e a caça aos últimos nazistas tiver ficado muito para trás de nós, seus nomes continuarão a ecoar.” 
  ( pág. 202 )



   Sobre a Autora:
   Tania Crasnianski -De origem russa, francesa e alemã, Crasnianski foi advogada penal em Paris. Seu avô materno, um ex-oficial da Força Aérea Alemã durante o período nazista, sempre se recusou a falar sobre aqueles anos. Essa foi uma das razões que a levaram a escrever este livro, e assim procurar compreender as implicações desse passado obscuro no presente. Hoje, vive entre a Alemanha, Londres e Nova York.

   Já leram o livro Filhos de Nazistas?
   Tem interesse em lê-lo?
   Então deixa sua opinião nos comentários. Vou adorar conhecê-la.