9 de abril de 2018

[ Resenha ] O Medo de Virgília | Rosa Mattos


  Olá pessoal!
  Tudo bem?
  Hoje eu trago a minha resenha do livro O Medo de Virgília, escrito pela autora nacional Rosa Mattos e publicado pela Editora Selo Jovem.


. Título: O Medo de Virgília
. Autora: Rosa Mattos
. Editora: Selo Jovem
. Ano:2014
. 1ª Edição
. 204 Páginas
. ISBN: 978-85-66701-26-5
. Sinopse: Cercada por pessoas desajustadas (psicopatas, neuróticas, depressivas, insanas, obsessivas, fóbicas e inescrupulosas), Virgília luta para manter sua sanidade mental. Dividida entre cuidar da própria vida e ajudar seus familiares que precisam dela financeiramente, muda-se de Cristal (pequena cidade gaúcha) e vai morar sozinha em Porto Alegre, num apartamento herdado pela mãe. Assim, poderá ficar mais perto de Marília, sua irmã mais nova, internada numa clínica depois de tentar matá-la, após sofrer um surto psicótico. Virgília começa a trabalhar como gerente de uma joalheria. Lá, ela conhece Alex, o entregador de joias e os dois se apaixonam. Em pouco tempo, serão envolvidos por um laço de amor que os manterá unidos, contra todas as adversidades. Além de ser um homem apaixonante, Alex possui um dom incomum, que o torna capaz de tirar vidas, ou salvá-las. E este seu dom, terá um papel importante para os rumos desta história. Uma trama onde o grande mistério é descobrir como Virgília conseguirá lidar com tantas situações difíceis que a cercam, sem enlouquecer.

 Livro oferecido gentilmente pela autora.


Muito Bom!

   Novamente tive a oportunidade de conhecer outra obra literária da autora Rosa Mattos e desta vez, com uma  trama misteriosa. O Medo de Virgília  trouxe  uma história com diversos elementos que gostei bastante  e até desejei que tivesse mais algumas páginas para que a história fosse prolongada. 

   Dividida em duas partes O Medo de Virgília contém a história narrada pelo ponto de vista da personagem Virgília, uma moça que muda-se   da pequena cidade gaúcha chamada Cristal e vai morar em Porto Alegre, num apartamento herdado pela mãe. 

   No início da história, Virgília estava despertando para o dia e arrumando para o primeiro dia de trabalho na  famosa joalheria Luc Prado, para assumir o cargo de gerência da loja de luxo no shopping. O gerente anterior havia sofrido um sequestro relâmpago, ficando na mira dos bandidos para entregar as chaves do cofre das joias da loja e após o fato ocorrido ele permanecia em casa traumatizado.

   Quando Virgília soube deste acontecimento, ela ficou meio apreensiva de aceitar ou não aceitar um cargo que oferecia perigo para sua própria vida. Contudo as circunstâncias do destino que encarregou de levar seu irmão Augusto com a esposa Joyce e os dois filhos Bruce e Will de surpresa para o apartamento,  Virgília foi obrigada  aceitar o emprego.
   
   Virgília também precisava lidar com a Marília, irmã mais nova que estava internada  numa clínica psiquiátrica  depois que teve um surto psicótico e tentou matar Virgília com um caco de vidro durante o almoço em família. 

   Mas foi durante um dia de trabalho que Virgília conheceu Alex, sócio de uma empresa de segurança. Alex ficava responsável de entregar aos clientes mais importantes  da empresa e no momento que entregava as  joias na joalheria conheceu Virgília. 

  No primeiro momento Alex sentiu algo diferente por Virgília, enquanto a jovem sentia o coração disparado pelo rapaz. No meio de um cenário difícil e pessoas desequilibradas,  Virgília enxergava em Alex um porto seguro para não enlouquecer.

   A leitura flui tranquilamente e dá para ler rapidamente. A história é muito boa, tem vários toques de realidade, distúrbios, temores, aflições, superações e  fatos que pode ocorre perfeitamente no dia a dia de um ser humano. Sejam elas diretas ou indiretamente. 

  Além da história de Virgília, o livro contêm  histórias dos outros personagens  que estão envolvidos com Virgília. A vizinha Dora, os personagens Anne e Alan ganharam um destaque bem misterioso na história.  Tem prima Celina, uma pessoa organizada e bastante perfeccionista. O tio Emiliano que tinha vários medos que previa catástrofes que provavelmente jamais fosse acontecer  com ele e mais alguns  protagonistas complicados.  

  Cada protagonista mostrou uma personalidade conturbada com temas bem construídos e o legal disso tudo, foi a Rosa Mattos detalhar o fato e a situação que os personagens viveram ou presenciaram e acabou  desenvolvendo o trauma psicológico neles. 

  De certa forma, Virgília era cercada pelas situações complicadas,  precisava ajudar as pessoas que estavam na experiências dolorosas e ao mesmo tempo,  manter a sanidade mental, não deixando que o medo influenciar na sua vida. Ela é uma personagem bem honesta, muito batalhadora, mas foi um pouco ingênua com a família que abusava da boa vontade da jovem. 

  Alex também contém uma história bem interessante. Cresceu no meio da dificuldade, perdeu o pai  muito novo e acabou desenvolvendo um dom  incomum. Ele conseguia  invadir a mente das pessoas, fazendo-as cometerem suicídio. Mas depois que conversou com um padre, tentava segurar seu instinto de fazer justiça usando o dom que tinha desenvolvido e superou seus traumas. 

  Minha única ressalta é a autora ter corrido um pouco com o desfecho da história. O enredo merecia mais páginas para ficar bem completo. Não encaro isso como ponto negativo para a história, só acho que merecia continuar com o desenvolvimento que estava tendo naturalmente. A segunda parte deixou a sensação que o final foi resumido. 

   A edição contém a capa correspondente a história. Cada início de capítulo possui uma ilustração de uma rosa e o nome do personagem que terá destaque no capítulo, quando não é a narrativa de Virgília e a diagramação está excelente na folhas amareladas. 

   Finalizo minha opinião recomendando essa história para todos os leitores que gostam de literatura nacional com uma trama envolvente  e bem conduzida. Mesmo sendo uma leitura leve, o leitor terá a chance de ter vários assuntos  para refletir.


“Também tenho meus medos, como  todo mundo. 
E algumas noites chego a perder o sono,  apavorada com a possibilidade de certos temores se concretizarem.” 
( pág. 33 )

   Sobre a autora:
   Rosa Mattos é gaúcha de Torres, formada em Economia e mora atualmente em Porto Alegre/RS.  Em 2011 publicou seu primeiro livro, intitulado Coletânea de Contos, com uma seleção de oitenta textos, entre contos e prosas. No ano seguinte, lançou Sopros de uma Flor, com poemas e pensamentos. Ambos pelo Clube de Autores. Paredes Vivas foi sua estreia como romancista em 2013, pela Editora Dracaena. Um romance sobrenatural com atmosfera de terror psicológico. Em 2013 e 2014, participou das antologias Mentes Inquietas e Horas Sombrias, da Andross Editora, com um conto de terror e outro medieval. O medo de Virgília, seu segundo romance, foi lançado em 2014 pela Editora Selo Jovem. Um thriller psicológico. Uma história de amor, medos e loucuras. 

   Já leu O Medo de Virgíla?
   Tem interesse em ler essa obra?
   Então deixa sua opinião nos comentários. Vou adorar conhecê-la.