08 maio 2015

[ Resenha ] Sniper Americano | Chris Kyle com Jim Defelice e Scott McEwen

       Olá pessoal!
       Tudo bem?
       Hoje eu trago a resenha da Biografia do  Sniper Americano do autores Chris Kyle com Jim Defelice e Scott McEwen  publicado pela Editora Intrínseca.
       Venha conhecer está incrível história.






" Eu queria lutar. Desejava fazer o que fui treinado para fazer. Eu queria defender meu país, cumprir meu dever e minha missão." 
( Chris Kyle - pág. 73 )

     



  . Dados Sobre o Livro:

 . Título Original:  American Sniper: The Autobiography Of The Most Lethal Sniper In U. S. Military History
 . Autor: Chris Kyle com Jim Defelice e Scott McEwen
 . Editora: Intrínseca
 . 1º Edição
 . Ano: 2015
 . 344 Páginas
 . Tradução de: André Gordirro
 . ISBN:  858057644X
 . Sinopse: Entre 1999 e 2009, um atirador de elite da Marinha dos Estados Unidos bateu o recorde de mortes em combate confirmadas pelas forças armadas de seu país. Era conhecido como " a Lenda" entre os compatriotas cuja vida salvou com sua mira. Entre os inimigos, tinha a alcunha de al - Shaitan, " o diabo". Em outras épocas, porém, ele era apenas Chris Kyle,  um americano nascido no Texas que aprendeu a atirar ainda criança caçando com o pai, foi peão de rodeio e caubói, casou - se e teve filhos - uma vida que, depois de uma  década de serviço militar, muitas vezes na linha de frente da batalha, e mais de 150 mortes no currículo, foi impossível retomar plenamente. Chris Kyle, morto em 2013, deixou em Sniper Americano  um relato franco e contundente de sua passagem pelas forças armadas no auge da chamada guerra ao terror - uma autobiografia que figura entre as mais relevantes memórias de guerra da atualidade.

 
   " Não arrisquei a vida para levar a democracia ao Iraque. 
Arrisquei - a pelos meus companheiros, para proteger meus amigos e compatriotas. 
Fui à guerra pelo meu país, não pelo Iraque. "
 ( Chris Kyle - pág. 185 )
     


                                                    
 Uma Leitura Bastante Forte e Polêmica

      Sniper Americano realmente é um livro provocador, como está citado na sua capa.
      Já tinha lido várias reportagens sobre a guerra no Iraque, mas é a primeira vez que li um relato tão interessante com fatos tão enriquecedores.
     Com uma narrativa totalmente fria, Chris Kyle relata não só suas experiências no campo de batalha, mas também toda sua história, antes e depois de ser considerado o atirador de Elite mais eficaz da história das forças armadas dos Estados Unidos.
     O livro começa com Chris protegendo seus compatriotas que estavam invadindo uma pequena cidade iraquiana, no ano de 2003. Chris vê através da luneta do seu rifle, uma mulher saindo de um casebre com sua filha, quando percebe que a mulher estava carregando uma granada e precisa eliminá – la antes de explodir.
     A partir deste ponto Chris começa contar em sua biografia, mostrando seus sonhos, sua paixão pelas armas, que começou na sua infância quando saía para caçar com seu pai, todo seu progresso profissional, como lidava com suas amizades, como conheceu e apaixonou pela sua esposa Taya.
     É impressionante como Chris descreve abertamente seu amor pela pátria e pela sua profissão ao ponto de deixar sua família praticamente em segundo plano.
     Uma atitude que provocou alguns conflitos familiares, que foi declarado pela Taya durante vários trechos pelo livro.
     Apesar de ser uma leitura bastante forte e polêmica, não é uma leitura agradável para quem é a favor da paz. Mas sou a favor que leia e tire suas próprias conclusões.
     Estou bem ansiosa para assistir o filme, pois li em algumas reportagens pela internet que mostrará trechos que foram excluídos no livro, pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos, incluindo a Marinha, durante a revisão do livro.
     E mesmo sendo tratado como um herói ou como um assassino profissional, eu gostei da biografia deste ex – membro da Seals e até concordo com Chris em algumas situações.  






      Já leram Sniper Americano?
      Então deixa sua opinião nos comentários.