17 agosto 2017

[ Crítica ] O Poderoso Chefinho



   Olá pessoal!
   Tudo bem?
   Hoje eu quero  conversar com vocês sobre o  filme Poderoso Chefinho. Uma animação tão gostosa de assistir que não pude deixar  de comentar.
   Venha conferir:







Título: O Poderoso Chefinho
Título Original: The Boss Baby
Ano: 2017
Dirigido por: Tom McGrath
Elenco: Alec Baldwin, Steve Buscemi, Jimmy Kimmel, Lisa Kudrow, Miles Bakshi e outros.
Duração: 1h e 38 min
Sinopse: Um bebê falante que usa terno e carrega uma maleta misteriosa une forças com seu irmão mais velho invejoso para impedir que um inescrupuloso CEO acabe com o amor no mundo. A missão é salvar os pais, impedir a catástrofe e provar que o mais intenso dos sentimentos é uma poderosa força.






Bebê Mandão

     O Poderoso Chefinho começa mostrando Tim ( voz de Miles Bakshi ), um garotinho de sete anos vivendo uma vida feliz e perfeita ao lado dos pais.  Tim se sentia uma criança mais sortuda do mundo pelo fato dos pais trabalharem em uma empresa de bichos de estimação e ainda terem tempo disponível para ele.
     Uma bela noite, após os pais terem contando história e cantou uma música preparando o Tim para dormir,  o papai ( voz de Jimmy Kimmel ) resolve perguntar ao Tim o que ele achava de ter um irmãozinho. O Garoto satisfeito com a vida nega a oferta agradecendo o pai e dizendo que já bastava ele. Naturalmente os pais se olham e juntos olham para a barriga da mamãe ( voz de Lisa Kudrow ).
     Certa manhã, enquanto brincava em seu quarto Tim,  que é uma criança com uma imaginação muito fértil, resolve observar pela janela  durante a brincadeira e percebe um bebê de terno e gravata preta (voz de Alec Baldwin ) chegando de táxi em frente sua casa. 
     Surpreso com a campainha ter tocado, rapidamente Tim corre em direção a porta principal da casa e encontra os pais carregando o bebê de terno. Os pais chamam Tim e apresenta o bebê como seu irmãozinho, deixando o garotinho cheio de dúvidas na mente.
    À medida que Tim precisa habituar à presença do novo membro da casa, percebendo que o irmãozinho tem os pais na palma da mão, o garoto também nota que o bebezinho  não é uma criança comum e que eventualmente, está envolvido com uma missão muito  importante  que cerca a empresa que os pais trabalham.  


    Não vou prolongar para não estragar a surpresa da história, mas sinceramente, não entendo por que tanta critica negativa em cima dessa animação. Eu gostei bastante dela, assim como Madagascar que também é do Studio Dreamworks.
    O bebê mandão tem cenas engraçadíssimas, sendo um espião de fraldas e achando que tudo se resolve  com algumas notas de dinheiro. Um das cenas inesquecíveis e favoritas, é quando os pais estão na rotina  cuidando do bebê e  ele bate na mão dos pais  para deixá-lo  segurar a mamadeira sozinho enquanto encarava o irmão mais velho com a cara fechada.
   Tim também não fica para trás com a farta imaginação, antes e após a chegada do irmão. A cena do ninja destaca perfeitamente a criatividade que as crianças tem nesta idade. Lembrei demais quando meus filhos  eram pequenos e a imaginação viajava longe na mente deles. 
   Eu  não tive essa experiência com irmão porque sou filha única, mas presenciei essa  experiência com meus filhos dentro de casa. Por eles terem pouca diferença de idade, eu percebia aquela curiosidade em mexer nas coisas do outro, a disputa entre irmãos e um ciúmes saudável  que tinham um do outro. Por isso, quando o Tim e o bebê precisaram unir forças por causa da missão foi uma das cenas mais fofas e cativantes do filme.
   Apesar das criticas negativas por ser uma animação simples, O Poderoso Chefinho está alcançando o encantamento do publico. Mesmo não estando mais nas salas de cinemas, o filme está conseguindo agradar não só os pequenos, mas especialmente os adultos por ser bem divertido. 





        Já assistiram O Poderoso Chefinho?
       Comente sobre ele. Sua opinião é muito importante para o blog.
       Deixe seu link para que eu possa retribuir. 
       Obrigada e volte sempre.