23 de março de 2018

[ Resenha ] As Brumas de Avalon | Marion Zimmer Bradley


   Olá pessoal!
   Tudo bem?
   Hoje eu trago para vocês a resenha do livro As Brumas de Avalon. Um clássico escrito pela Marion Zimmer Bradley e publicado nessa edição maravilhosa  que editora Planeta  Livros do Brasil lançou em volume único.


. Título: As Brumas de Avalon
. Título Original: The Mists of Avalon
. Autora: Marion Zimmer Bradley
. Editora: Planeta Livros do Brasil
. Ano: 2017
. 1ª Edição
. 968 páginas
. ISBN: 978-85-422-1178-8
. Tradução: Marina Della Valle. Sinopse: Grande clássico da literatura mundial retrata a mítica história do rei Artur a partir da perspectiva de mulheres mágicas e poderosas. Por séculos, as lendas arturianas povoaram o imaginário de leitores de todo o mundo. As Brumas de Avalon é considerado por muitos a versão literária definitiva do mito e muitas gerações de mulheres se deixaram arrebatar pela escrita envolvente de Marion Zimmer Bradley. Pelos olhos de mulheres complexas e poderosas como Morgana das Fadas, Viviane, a Senhora do Lago, Igraine, Morgause e Gwenhwyfar, os reinos de Camelot e de Avalon são revisitados neste clássico, repleto de magia, sensibilidade e intrigas. Uma releitura monumental das lendas arturianas...

Livro oferecido gentilmente pela Editora Planeta do Brasil.
Cortesia do Doce Letras.


Um Clássico Encantador!

     Pela primeira vez eu estou tendo a oportunidade de conhecer à tão famosa história clássica que encantou gerações. Escrito pela escritora Marion Zimmer Bradley em 1979, As Brumas de Avalon conta toda a saga e lenda do Rei Artur pelo ponto de vista das personagens femininas. Todas as mulheres estavam presentes na vida do Rei Artur e por elas terem um papel importante, a história foi proporcionada de maneira mais delicada. 

    A história é dividida em quatro volumes, mas a nova edição publicada pela editora Planeta Livros do Brasil está todos os volumes em um único livro. Confesso que fiquei agradecida demais da edição ter vindo dessa maneira, pois assim já conquistei a história completa e a leitura pode ser feita sem interrupções.

   Quem acompanha minhas resenhas, sabe que gosto de  contar um pouco da história com alguns detalhes para o leitor ter a chance de conhecer melhor a obra  que foi lida. Claro que sempre tomo muito cuidado  com os spoilers, para não estragar a surpresa. Acontece que dessa vez, a resenha será um pouco diferente. Vou comentar um pouco de cada volume, de maneira superficial para não estragar e não entregar numa surpresa  ao leitor que ainda  não leu essa maravilhosa história. 

    No primeiro livro, A Senhora da Magia, Igraine é uma pagã de Avalon e futura mãe do Rei Artur, mas antes disso acontecer ela conta foi obrigada a casar com o cristão fervoroso Duque Gorlois e com ele, Igraine teve uma filha chamada Morgana.

    Por ser esposa e filha do Duque de Cornualha, Igraine e Morgana viviam no comodismo e muita tranquilidade. No entanto isso mudou quando Igraine recebeu a visita de sua irmã Viviane, a grande sacerdotisa da Ilha Sagrada. Durante a visita, Viviane estava acompanhada por Merlim e eles revelaram um novo destino para Igraine. Mesmo estando casada com o Duque Gorlois, Igraine  estava destinada a casar novamente com o Rei Uther Pendragon e deste casamento ela iria gerar o futuro Rei Artur. 

   No início Igraine  ficou resistente com seu novo destino, pois não desejava ser infiel ao Duque Gorlois, mesmo não amando ele profundamente. Contudo Viviane afirma para irmã que nos planos de Avalon, o reinado do futuro Rei colocaria paz entre os pagãos e cristãos. No entanto, o destino fica encarregado de pregar uma peça em Igraine e ela acaba  perdidamente apaixonada pelo Uther Pendragon. Os dois passam a viver uma paixão avassaladora, se casam e Igraine dá à luz ao pequeno Artur como Viviane revelou.

    Quando chegamos ao segundo livro, A Grande Rainha, alguns anos se passaram e por causa dos acontecimentos no final do primeiro  livro, Morgana está grávida e alimentando um ódio enorme pela tia Viviane. Dessa maneira, ela resolve abandonar tudo que aprendeu com a Viviane e  vai morar com tia Morgause que vivia com o marido na corte de Lot e com ajuda da tia, Morgana dá à luz um belo menino.

    Enquanto isso, Artur tornou-se o Grande Rei da Bretanha e  Gwenhwyfar, filha do Rei Leodegranz foi escolhida para casar e reinar ao lado de Artur, tornando-se a Grande Rainha. Apesar de ser casada com Artur num casamento arranjado, Gwenhwyfar era apaixonada pelo Lancelote, primo e cavaleiro do Rei Artur, mas escondia os sentimentos por ser  uma mulher bastante cristã e devia ser fiel ao marido. Por causa do cristianismo, Gwenhwyfar desejava eliminar todos os rituais pagãos da Bretanha. Deste modo, Gwenhwyfar vivia criando conflitos e manipulando a mente de Artur para ele quebrar a promessa com Avalon.  

    Chegando ao Terceiro livro, O Gamo-Rei, o filho de Morgana que estava sendo criado pela tia Morgause mostrava que era um garoto muito inteligente e observador para sua idade. Mas foi durante a visita da irmã Viviane, que Morgause percebeu o dom especial de Gwydion e sendo assim, o garoto foi levado para Avalon para adquirir conhecimentos e receber os ensinamentos  da antiga religião para tornar-se um druida. 

    Ao mesmo tempo  na corte do Rei Artur, todos os personagens estão com a idade mais avançada, porém os conflitos e as rivalidades estão fortemente na vida de Artur, Gwenhwyfar, Morgana e Lancelote. Artur era um rei invencível em combate e os cavaleiros da Távola Redonda foram fieis ao Artur  no castelo de Camelot.

    O último livro, O Prisioneiro no Carvalho, apresenta o desfecho da lenda do Rei Artur, todos os conflitos de gerações e o destino de cada personagem. Todos os detalhes deste são importantes, mas quem conhece a história do Rei Artur, sabe como ela termina.

   A história é simplesmente incrível!
   É aquele tipo de livro que você abraça logo que terminar a leitura e agradece de coração aberto à chance de ter lido do início ao fim. Não tenho palavras para descrever como foi bom passar momentos com este calhamaço. 

   Mesmo que seja uma edição com muitas páginas, a história desenvolve  tranquilamente. A leitura é compreendida com facilidade e a escrita não é complicada. O primeiro volume flui maravilhosamente porque apresenta os personagens. No segundo e terceiro volume, a leitura consegue arrepiar com as intrigas e o quarto volume, a leitura é carregada de emoções valiosas e uma aflição porque a história está caminhando para o final. Valeu demais! 

     Cada personagem  foi essencial, contudo o especial dessa história é a escritora dar voz as personagens femininas como a Igraine, Morgana,  Viviane e Gwenhwyfar. Mesmo elas sendo submissas  aos homens, porque essa era a realidade da época, o papel da mulher é forte. Elas sabiam lidar com as situações e decisões de forma inteligente, influenciando e manipulando as decisões dos homens. Isso encantou e enriqueceu  a história.  

     Durante a leitura, o leitor vai percebendo o amadurecimento dos personagens, principalmente da Morgana. A protagonista é sensacional. O primeiro livro também é centralizado na vida de Morgana, logo após o casamento da mãe com Uther Pendragon, Morgana passou  ter a presença da tia Viviane na sua vida. O que Morgana  não sabia, era que Viviane também tinha planos traçados para o futuro da sobrinha. 

     Da mesma forma aconteceu com  a Gwenhwyfar quando ela apareceu no início do segundo livro e transformou-se em personagem principal e mesmo tendo a presença da Morgana na história, Gwenhwyfar conquistou um enorme destaque. Porém, a minha relação com a Gwenhwyfar, foi um pouco de amor e ódio por causa do fanatismo cristão e inveja da liberdade de Morgana, mas sem sombra de dúvida, Gwenhwyfar foi ótima nos momentos que manipulava Artur.

    A edição possui capa dura, uma ilustração linda que corresponde perfeitamente com a história. O livro não contém imagens e nem índice informando o início de cada volume, mas a edição possui uma fita para marcar a página durante a leitura. Facilita bastante nos momentos que precisa parar a leitura.    

    É um livro que dá gosto de ler. Com certeza, quero reler em algum momento da minha vida para enxergar outros pontos de vista.  Recomendo demais a leitura deste livro, principalmente para leitores que adoram mistério, conflitos, segredos e polêmicas. 


“Não tirei de Artur nada que ele quisesse ou precisasse de mim. 
Ele precisava de uma rainha, uma senhora para cuidar de seu castelo...”  
 ( pág. 938 )

  Sobre a autora:
  Marion Zimmer Bradley começou sua destacada carreira como autora em 1961, com seu primeiro romance, A porta através do espaço. No ano seguinte, escreveu o primeiro livro da popular série Darkover, Sword of Aldones [Espada de Aldones], logo indicado ao Hugo Award. Esta série será adaptada para a TV, pela Amazon. Seu romance A torre proibida também foi indicado ao Hugo, e A herança de Hastur, ao Nebula Award. As brumas de Avalon foi a obra de maior sucesso da carreira de Bradley. Recebeu o Locus Award em 1984 na categoria Melhor Romance de Fantasia e está entre os mais vendidos da revista Locus há anos. Bradley morreu em 1999.
 
   Já leram As Brumas de Avalon?
   Tem interesse em lê-lo?
   Então deixa sua opinião nos comentários.