27 de abril de 2018

[ Resenha ] Sábado à Noite | Babi Dewet


   Olá pessoal!
   Tudo bem?
   Hoje eu trago para você a resenha do livro Sábado à Noite, escrito pela autora Babi Dewet e publicado pelo Selo Generale da Editora Évora.


.Título: Sábado à Noite
. Autora:  Babi Dewet
. Editora: Évora
. Selo: Generale
. Ano: 2012
. ISBN: 978-85-63993-38-0
. 344 Páginas
. 1ª Edição
. Sinopse: Essa é uma história complicada. Uma história sobre amor e amizade. Uma história sobre jovens descobrindo seu papel no mundo. Amanda é uma adolescente como tantas outras, e ela não tem culpa de ser popular e a menina mais bonita do colégio. Isso simplesmente aconteceu quando ela cresceu. Seu melhor amigo de infância vive se metendo em encrencas com seu grupo bagunceiro e, apesar de serem como irmãos, eles não se falam em público.

Livro recebido de Parceria com Editora Évora.
Leitura Divertida!

    A história de Sábado à Noite se passa numa cidade chamada Alto Granada, onde dois grupos de jovens serão o foco do primeiro livro da trilogia com uma trama bem juvenil e centralizada em jovem do ensino médio. 

   O grupo das meninas é composto por Amanda, Anna, Guiga, Maya e Carol. Elas são consideradas as moças populares do colégio e as mais invejadas. As cinco moças apenas preocupavam com a própria imagem.  Do outro lado da moeda, tinha os rapazes bagunceiros, também chamados de marotos. No grupo dos rebeldes considerados suicídio social, havia Rafael, Daniel, Bruno, Fred e Caio. Eles eram malvistos pelo colégio e ninguém queria ficar perto dos marotos.

    Certo dia, o diretor do colégio resolveu informar os alunos que a escola iria começar à dar bailes todos os sábados e o diretor estava em busca de uma banda para apresentar durante o baile. Tocando e cantando  várias músicas e Fred ficou muito empolgado com a notícia e pediu para Daniel conversar com o diretor a respeito do assunto. 

     Quando os marotos foram apresentar a banda deles, o diretor proibiu os rapazes de apresentarem no baile, pois achava os rapazes irresponsáveis.  Porém o diretor contratou uma banda  misteriosa chamada Scotty e os membros só apresentavam mascarados. 

     Na primeira apresentação, a banda Scotty fez maior sucesso, surpreendendo todos que estavam no baile. Especialmente as moças populares. No entanto as músicas que a banda Scotty tocava nos bailes, falava diretamente sobre a vida das pessoas que estava no baile, especialmente de Amanda.

    A escrita da Babi é muito fácil de fluir, porque é determinada para os jovens. Isso faz a leitura desenvolve muito rápido, entretanto, eu esperava mais da história. Principalmente  quando li a sinopse do livro e pensei que a banda teria mais destaque, mas a paixão entre Amanda  e Daniel  que conquistou o maior destaque da história. 

    O livro  mostra várias tribos de colégio. Além das garotas populares e os marotos, também tem a turma do time de basquete,  os playboys... No final das contas, lendo o livro, eu lembrei um pouco da época da escola, quando eu era da turma que andava com pelo menos um peça de roupa preta junto com a camisa do uniforme e as meninas populares olhavam com o nariz  empinado e cara fechada. Eu não era popular.

    E apesar de ter divertido com a leitura e o enredo ser bacana, infelizmente não gostei da Amanda. Ela foi muito fútil e chata com vários momentos irritantes e infantis. Creio que a autora quis apresentar  para os leitores jovens, o quanto uma pessoa pode ser inconsequente e irresponsável com as escolhas erradas.

   A história era bacana por causa dos marotos e foram eles que salvaram a  história. Os marotos apresentavam diálogos divertidos e tinham os pés no chão. Sinceramente eu achei muito injusto as pessoas desprezarem os marotos, sendo que tinha uma turma de rapazes que realmente era perigosa.

   Pelo desfecho do livro, a personagem Amanda parece que vai começar amadurecer no próximo livro. O final deixou uma reviravolta interessante e sinceramente espero mais de Amanda, ela ainda tem a chance de me conquistar como leitora. Assim espero.

   A diagramação do livro está simples, mas muito boa nas folhas amarelas do papel offwhite.Não contém nenhuma ilustração e a capa é super legal. Está mostrando um personagem da  história e confesso que  foi pela capa que despertou minha curiosidade pela história.
     
  Enfim, o livro tem vários leitores divididos, alguns adoram a história e tem outros leitores que não gostaram. Mas aconselho o leitor que gostou do enredo e ficou interessado em ler, que conheça a história. Eu gosto muito quando o livro tem opiniões divididas, pois assim temos o privilégio de tirar nossas próprias conclusões. 

“Não dá para acreditar
Que encontrei alguém como ela 
Uma garota que mudou minha vida 
De todos os jeitos que podia saber 
Ela de repente se virou para mim 
E me deixou triste, sem querer 
Porque seus olhos eram tristes 
Eu não sei o que ela soube 
Mas eu estou feliz de não ser o cara 
Que deixou ela tão mal.”
 ( pág. 76 )

   Sobre a autora:
   Babi Dewet nasceu dia 30 de dezembro de 1986, no Rio de janeiro. No início da adolescência, morou em Alto Paraíso (GO). É formada em Cinema e dona de uma escola com o projeto de reeducação para jovens. Se considera uma eterna adolescente, sempre em busca da Terra do Nunca. Leitora assídua, é apaixonada por cultura pop, literatura fantástica e bandas britânicas. Fã de carteirinha de fenômenos como Harry Potter e Crepúsculo, também adora os clássicos de Jane Austen e espera um dia conseguir criar personagens tão fortes como os do André Vianco.Seu maior sonho era ser uma estrela do Rock, mas sem talento musical, encontrou nos livros sua verdadeira vocação.

  Já leu Sábado à Noite?
  Tem interesse em lê-lo?
  Então deixa sua opinião nos comentários. Vou adorar conhecê-la.